Como melhorar a segurança pública

Sabe-se que a segurança pública no Brasil pode melhorar, com uma atuação aquém e sem um plano eficiente de combate a violência, que aumenta a cada dia, com policiais mal preparados e treinados.

Por isso, esse texto vai tentar analisar o que fazer para melhorar a segurança pública no pais, com ideias de projetos que vem sendo discutidos por profissionais e pesquisadores da área, para que se possa avançar nesse campo tão importante da sociedade.

Como melhorar a segurança pública?

Como melhorar a segurança pública

Dever de todos

Precisa-se, antes de tudo, entender-se que a segurança pública não é uma tarefa apenas do Governo, é responsabilidade dos cidadãos zelar pela Segurança Pública e, por isso, devem agir no sentido de assegurar a ordem pública.

Sem divisões

Para ter-se uma política de segurança pública adequada, precisa-se repensar a formação e a divisão dos policiais no Brasil, pois, enquanto o discurso é para uma Polícia única, no Estado de São Paulo criou-se uma terceira polícia, a técnico-científica, e isso não é legal, pois, quanto mais há divisão de funções, mas enfraquecido fica a polícia, além dos gastos extras que se tem.

Pior que isto, é que tais divisões vêm dificultando excessivamente uma ação integrada de prevenir e reprimir, graças às cisões em suas atribuições e disputa de área de atuação.

Avanço do crime

Enquanto se perde tempo discutindo quem faz o que, com disputas ideológicas e políticas pelo poder, o crime avança cada vez mais. Por isso, uma profunda reforma da segurança pública se faz necessária, com efetiva contribuição das mais diversas entidades estatais, da mídia, da sociedade em geral, todos devem participar dessa área, para que ela possa realmente se qualificar.

Experiências bem-sucedidas

Porque não aplicar medidas que já obtiveram êxito no passado, como os inspetores de quarteirões (entrosados na comunidade com seu policiamento velado, oculto) e a guarda noturna (com seu policiamento ostensivo, exposto). Além disso, é uma boa ideia para motivar os policiais, promover cursos específicos de aperfeiçoamento e adestramento, além da centralização e difusão de informações, pesquisas, estatísticas, assinalações. Uma disputa que atrapalha a segurança pública é a vindicta (represália, vingança) e a luta pelo espaço de atuação.

Por fim, conclui-se que é necessário estabelecer parâmetros de atuação das entidades de segurança pública, restaurar e promover a educação, a saúde e todos os direitos de um cidadão, fomentar a ajuda aos mais necessitados e assegurar o cumprimento da lei, para que se tenha não só uma segurança pública melhor, como também uma sociedade mais justa e boa para se viver.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *