Mais participação do Governo federal na segurança pública

A segurança pública no Brasil é quase inexistente, por mais que se fale de violência, crime, insegurança, o ponto central está na ineficiência e na inadequação do atual sistema de segurança pública que o pais tem atualmente.

Mais participação do Governo federal na segurança pública

Por isso, muitos governadores, principalmente dos Estados Nordestinos, estão pedindo mais participação do governo federal na segurança, pois, entendem eles que a União deveria dar um maior suporte aos estados nessa questão. Na verdade a união se mostra alheia a estas questões. Salvo algumas intervenções pontuais, não há uma política clara de sua participação junto aos Estados.

mais participação do Governo federal na segurança pública

Financiamento próprio

A secretaria nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Regina Miki, defendeu a criação de uma política de segurança pública com fonte de financiamento próprio, baseada na aquisição de equipamentos, na capacitação de agentes e no desenvolvimento de um procedimento operacional padrão.

Pois, o sistema hoje adotado não está conseguindo suprir as carências e necessidades dos policiais, desde do salário, muito baixo, até a falta de equipamentos e treinamentos adequados. A polícia brasileira necessita de um maior cuidado, para que, ela possa exercer a sua função com mais qualidade.

Mais dinheiro

O Governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, pediu mais dinheiro para a construção de presídios, pois, o déficit é de 4 mil vagas.

 “Como posso construir presídios se mal posso pagar os servidores? Só vejo uma maneira de resolver: que o governo federal crie uma modalidade de socorro aos estados para a construção de novas unidades no Nordeste. ”

Federalização dos presídios

Quem também pediu ajuda ao Governo Federal foi o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, quem inclusive foi mais enfático e recomendou a federalização dos presídios, pois, segundo ele, falta verba aos Estados para conseguir suprimir a quantidade de vagas necessárias.

Segundo a secretaria, Regina Miki é necessário, além da construção de novas unidades prisionais, repensar a atual prática de encarceramento.

“Estamos ocupando os cárceres com pessoas que não deveriam estar lá e deixando de fora mais de 200 mil mandados [de prisão] a serem executados por falta de vagas”, refletiu a secretária.

Esses pontos são importantes para serem repensados no que se refere a participação do Governo Federal na segurança publica e o que fazer para conseguir suprir a demanda de presos, a qual, aumenta cada dia mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *