Protestos e saques deixam dois mortos e caos no Estado natal de Hugo Chávez

Protestos e também saques deixam 2 mortos e também trapalhada no Estado natal de Hugo Chávez
Uma série de saques e também protestos violentos versus o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, nesta segunda-feira (2) deixou 2 mortos e também para centenas e centenas de feridos em Barinas, Estado onde nasceu Hugo Chávez (1954-2013).
Os atos começaram no início da manhã na cidade de Barinas. Comerciantes, taxistas e também motoristas de coletivo fizeram uma paralisação em repúdio vs a resolução do chavista de convocar uma Parlamento Constituinte.
Varão ajuda senhora em cadeira de rodas durante protesto versus Nicolás Maduro em Caracas

Varão ajuda senhora em cadeira de rodas durante protesto vs Nicolás Maduro em Caracas
Os opositores fecharam as primordiais ruas da capital estadual com barricadas montadas com lixo, troncos de árvores e também pneus. Houve confronto entre os manifestantes e também as forças de segurança, desatando o anarquia na localidade.
Homens encapuzados atacaram com coquetéis molotov os prédios do chavista Partido Socialista Uno da Venezuela (PSUV), do Parecer Vernáculo Eleitoral (CNE), da missão habitacional e também uma delegacia da agente sítio.
O conjunto ainda queimou carros e também furtou móveis, computadores, uniformes policiais, armas e também munição. Concomitantemente, mais ou menos 250 lojas eram saqueadas, incluindo supermercados, padarias, lojas de rouparia e também adegas.
Duas pessoas morreram baleadas. O aluno Yorman Alí Bervecia, 19, militante de um partido opositor, foi branco de um disparo no peito durante confronto com a Guarda Pátrio. Não se sabe de onde partiu a projéctil.
Outro varão, identificado como Jhon Alberto Quintero, 20, foi atingido na carola perto de uma loja onde ocorria um saque. Com isso, chegou a 51 o número de mortos nos mas de 50 dias da vaga de protestos.

A tensão continuava no início da noite. Os acessos da cidade foram bloqueados e também o enfermaria estava superlotado de feridos, particularmente por balas de borracha da policial, bolas de gude dos manifestantes e também armas brancas.
Os equipe da convênio opositora Mesa de Unidade Democrática condenaram a violência em Barinas e também acusaram a Guarda Vernáculo de não impedir os encapuzados e também os saqueadores. O governo ainda não se pronunciou.
Houve confrontos entre manifestantes e também as forças de segurança também em Caracas, onde os opositores se uniram aos profissionais de saúde para rogar a ingressão de ajuda humanitária e também o término da crise nos hospitais.
FRONTEIRA

Ao passo que ocorriam as manifestações, o governo de Nicolás Maduro abriu uma novidade crise diplomática com a vizinha Colômbia, desta vez devido à presença de automóveis blindados no posto de fronteira de Paraguachón.

A chanceler Delcy Rodríguez chamou o reforço na segurança de \”uma provocação extraordinário e também intolerável \”. \”O equipamento militar que está lá não condiz com atividades para a luta versus o violação transnacional\”, diz.
Segundo Rodríguez, a medida faz secção \” de uma provocação frota pelo Pentágono\”, aludindo à tese de Maduro de que este é branco de um golpe de Estado da oposição venezuelana em associação com os Estados Unidos.
O Ministério de Resguardo da Colômbia informou em nota que os blindados estão perto de fronteira a começar de 2015, enquanto Maduro fechou a fronteira por quase um ano devido à suposta ação de paramilitares e também contrabandistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *